Pesquisadores da FEAAC ganham prêmios de Melhor Artigo em eventos europeus

4 de julho de 2019

Docentes  e Discentes do Programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria (PPAC) da UFC ganharam os prêmios de melhor artigo em suas áreas de interesse em dois congressos europeus: a 19ª Conferência Anual da European Academy of Management (EURAM – Academia Europeia de Administração), em Lisboa, e a 52ª Conferência da Academy of Marketing, em Londres.

Ambos os prêmios foram concedidos à mestranda Érica Sobreira e ao doutorando Clayton Silva, sob orientação da Profª Cláudia Buhamra. Em Lisboa, no fim de junho, venceram com o artigo “Slow but sure: the effects of empowerment and materialism on slow fashion consumption” (“Lento mas seguro: os efeitos do empoderamento e do materialismo no consumo de slow fashion”, na tradução para o português).

Já em Londres, na última quarta-feira (3), foram agraciados pelo trabalho “Do materialism and empowerment influence slow fashion consumption? Evidence from Brazil” (“Materialismo e empoderamento influenciam o consumo de slow fashion? Evidências do Brasil”, também traduzido para o português).

Os pesquisadores da UFC venceram na EURAM na área temática Business for Society, uma das 14 áreas do evento, que contou com mais de mil artigos selecionados. Já na Conferência da Academy of Marketing, o prêmio foi na área Fashion marketing and consumption, uma das 19 do congresso.

Segundo a Profª Cláudia Buhamra, os trabalhos versam sobre o slow fashion (moda lenta), um movimento de moda sustentável que tem ganhado força entre designers, varejistas e consumidores, baseado em críticas a uma sociedade acelerada e ao sistema insustentável fast fashion (moda rápida) da indústria atual.

“A administração mercadológica busca, agora, entender as características que moldam o comportamento do consumidor e o estimulam a optar por produtos slow fashion. Nossa pesquisa, então, focou em duas dessas características: o empoderamento e o materialismo. Ou seja, teve como objetivo verificar se há relação entre o empoderamento e o materialismo com o consumo de slow fashion”, analisa a Profª Cláudia Buhamra.

Os pesquisadores realizaram uma pesquisa com 306 consumidores de Fortaleza, capital do Estado do Ceará e que ocupa a 5ª posição nacional no ranking do faturamento da cadeia têxtil e de confecção, segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (2016).

“Os resultados mostram que, de fato, o empoderamento afeta positivamente o consumo de slow fashion, ou seja, os indivíduos mais empoderados, mais seguros de si e que se sentem capazes de exercer controle sobre a própria vida estão propensos ao consumo mais consciente de roupas, preocupam-se com as condições de trabalho de produtores e com o comércio justo”, explica Cláudia Buhamra.

“O materialismo, por sua vez, não apresentou os efeitos negativos em todas as dimensões do slow fashion, como se imaginava. Mesmo os materialistas podem estar dispostos a optar por slow fashion quando isso representar peças exclusivas”, complementou a orientadora.

CELEBRAÇÃO – “Para nós, Érica, Clayton e eu, foi surpreendente e maravilhoso. Trazer para o Brasil dois prêmios de um evento europeu de Administração, com milhares de participantes de todos os continentes, mostra que produzimos pesquisa de qualidade na área das Ciências Sociais Aplicadas. E como os artigos são fruto da disciplina de Marketing e Sustentabilidade que ministro no PPAC, mostra também a importância da integração entre ensino e pesquisa. É como ganhar um Oscar da Administração!”, comemora a Prof. Cláudia.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional – fone: (85) 3366 7331